Notícias

SIGA NOSSO

08/11/2017 10:30

Pílula do dia seguinte, quais os riscos?

Existem muitas dúvidas acerca da pílula do dia seguinte. Alguns questionamentos giram em torno de ela ser abortiva ou não e se é realmente eficaz. O médico ginecologista Francisco de Brito esclarece algumas dúvidas sobre esse contraceptivo de emergência.

Bomba de hormônios

A pílula é considerada por muitos uma bomba de hormônios e o ginecologista explica as razões. “Na realidade a pílula do dia seguinte é uma forma de usar a anticoncepção em situações inesperadas. A concentração dos hormônios é muito mais elevada do que quando se faz o uso de pílulas sequenciais, diárias, em que a posologia da dosagem é bem pequena. É um risco grande utilizá-la sem a prescrição de um médico”, explica.

Riscos

Segundo o ginecologista usar a pílula do dia seguinte aleatoriamente não é o correto. “Ela provoca uma menstruação abundante, uma metrorragia, até 72h após a medicação. A dosagem hormonal da pílula do dia seguinte ultrapassa a quantidade de uma cartela completa de 28 comprimidos dos anticoncepcionais diários”.

Sintomas

Francisco de Brito conta que esses hormônios podem causar sintomas muito desagradáveis. “Tem mulheres que sentem náuseas, tonturas, vômitos intensos,  diferentemente do uso do anticoncepcional contínuo, em que o organismo se adapta aos poucos a esses sintomas. O objetivo da pílula do dia seguinte é justamente provocar a descarga do endométrio para impedir que haja a implantação do espermatozoide e aconteça o fenômeno da gestação”, afirma.

Quando deve ser utilizada?

Para o ginecologista é imprescindível que se tenha uma orientação médica. “Algumas mulheres, pelo fato da falta de informação e na dúvida se vai estar ou não ovulando tomam a pílula imediatamente. Ela pode ser usada até 72 horas após a relação, com a possibilidade de estar ovulando, e também em casos em que aconteceu uma violência sexual. Agora, existem outros meios mais seguros para evitar a gravidez do que usar uma medicação que provoca uma hemorragia, não tem sentido fazer uso regular”. 

Contraindicações

A pílula do dia seguinte nunca deve ser tomada em casos em que a mulher já esteja grávida. “Se existe a possibilidade de a mulher estar grávida não se deve fazer uso da pílula, pois ela é contra indicada na possibilidade de haver uma gravidez”, explica o médico.