Comissão Própria de Avaliação

SIGA NOSSO

Metodologias aplicadas

- Oficinas de trabalho com convocação ampla para a participação voluntária; 

- Oficinas de trabalho com participação dos Colegiados dos cursos da Ciências Médicas; 

- Grupos Focais, com participação de representantes, do corpo docente e discente e de convidados; 

- Relatórios dos diversos setores envolvidos nas 10 dimensões a serem avaliadas; 

- Análise da documentação pertinente:  

- Projeto Pedagógico Institucional – PPI; 

- Projeto de Desenvolvimento Institucional – PDI; 

- Projetos Pedagógicos dos Cursos – PPC; Regimento Interno da Instituição.

- Pesquisa interna, abrangendo toda a comunidade, a partir da aplicação de questionários, com resposta voluntária e sem identificação, sobre os seguintes pontos: 

 - Avaliação dos Docentes pelos discentes; 

- Avaliação da Infra-estrutura pelos docentes, discentes e corpo administrativo

Na busca da participação ampla da Comunidade Acadêmica (Coordenações de cursos, Docentes, Discentes, e Corpo Técnico-administrativo) e Representantes da Sociedade, está prevista a utilização de várias modalidades de pesquisa/discussão/reflexão, tais como:

- Encontros presenciais com as diversas instâncias da IES para explanação das atividades a serem desenvolvidas, a partir do cronograma proposto;

- Aplicação dos questionários abrangendo a comunidade acadêmica por meio da plataforma TOTVS;

-  Análise de relatórios dos diversos setores envolvidos nos eixos/dimensões a serem avaliadas, bem como dos relatórios externos do MEC;

- Realização de rodas de conversa com a comunidade acadêmica após a análise dos resultados obtidos dos questionários;

Outras modalidades poderão fazer parte da coleta de dados sobre o desenvolvimento da instituição e todas serão utilizadas tendo como norte indicadores sugeridos nas Orientações Gerais Para o Roteiro da Autoavaliação das Instituições, divulgado pelo MEC/CONAES/INEP (2014), o qual apresenta prazos a partir do ano de referência de 2015 para envio dos relatórios da CPA por meio do sistema e-MEC, ao longo de um período de três anos. Nos 2 primeiros anos, o relatório deverá ser inserido em sua versão parcial e no terceiro ano, será inserido em sua versão integral, conforme segue:

- até 31 de março de 2016 – 1º relatório parcial

- até 31 de março de 2017 – 2º relatório parcial

- até 31 de março de 2018 – relatório integral

Para o alcance destas metas a CPA (Gestão 2016 a 2018), em particular a elaboração do segundo relatório parcial, decidiu-se enfatizar o eixo 3 (Políticas Acadêmicas) na dimensão 2 (Políticas de ensino, pesquisa e extensão) com a intenção de analisar de forma mais global e profunda o desempenho da instituição nesta dimensão. Essa decisão se deve à necessidade de avaliar o impacto no desenvolvimento do PDI e PPCs das políticas de formação para os profissionais de saúde empreendidas pelas instâncias de poder nacional, no biênio de 2015 a 2016. Além do mais, no ano de 2015 a instituição passou por mudanças nos processos de gestão acadêmicas que vem impactando o desempenho desta dimensão.

Para tanto, esta comissão vem trabalhando na construção dos questionários de autoavaliação institucional para implantação na plataforma TOTVS. Desta forma, estão sendo (re)criados indicadores com seus respectivos critérios, que serão avaliados pelas diversas instâncias acadêmicas de acordo com os seguintes conceitos: insuficiente, regular, bom, muito bom, excelente e não se aplica. O processo de avaliação institucional ocorrerá da seguinte forma:

- Avaliação dos docentes pelos discentes e coordenações de curso;

- Avaliação das coordenações de curso pelos discentes e docentes;

- Avaliação dos diversos setores da instituição e da infraestrutura pelos discentes, docentes e corpo técnico administrativo;

- Autoavaliação docente, discente e das coordenações de curso.