Dica de Saúde - O bom funcionamento do intestino


03/12/2019 08:15

Ritmo de vida acelerado, estresse, má alimentação e sedentarismo são fatores que estão muito presente na vida de todos nós. Muito já se sabe sobre as consequências que esse estilo de vida provoca a saúde, contribuindo para o surgimento de várias doenças, como por exemplo, as que estão diretamente ligadas ao funcionamento do intestino. Entre esses problemas que podem atingir o intestino, está, principalmente a constipação intestinal. A nutricionista Andrea Paiva esclarece esse assunto. 

Consumir mais fibras e água 

Segundo Andrea a causa mais comum da constipação intestinal crônica é a baixa ingestão de fibras. "Quando a gente fala de intestino a maior queixa é realmente a constipação intestinal, conhecida como a prisão de ventre, que é muito mais comum entre as mulheres. E a gente deve dar atenção a quantidade de evacuações, pois não é normal, por exemplo, pessoas que passam dias e dias sem ir ao banheiro. Então, para se ter uma saúde intestinal positiva é muito importante comer legumes, folhosos verdes escuros, os turbéculos como cenoura, mas também as raízes como macaxeira, batata doce, batata inglesa, inhame. Consumir mais os vegetais em si e as frutas. É importante comer a parte branca da laranja, da tangerina, que é rica em fibras, e os vegetais como rúcula, brócolis e couve flor, com uma variedade máxima possível. Também deve-ser aumentar a ingestão de água, porque tem gente que consome os alimentos corretos, mas ingere pouca água, e aí acontece o efeito contrário, ao invés de aumentar os movimentos peristálticos, para poder fazer a evacuação correta, acaba constipando", explica.     

Equilíbrio do instestino 

A nutricionista conta que é importante buscar sempre o equilíbrio do intestino "Hoje já se sabe que a saúde intestinal já produz serotonina, responsável pelo humor, e tem uma microbiota enorme que participa do processo absolutivo. Essa microbiota também atua no controle da proliferação das bactérias patogênicas e no fortalecimento do sistema imunológico. É importante que essa microbiota esteja em obiose, que é o equilibrio, quando as bactérias patogênicas são muito maior em número e as benéficas em bem menor número, a gente fala que está em processo de disbiose, que não é uma doença, mas é um desequilíbrio nessa microbiota. Nesse processo é importante observar não só o número de evacuações, mas também o formato das fezes, o odor e a cor. Isso também indica a  saúde intestinal", afirma. 

Escolhas ruins

E como podemos deixar esse microbiota positiva? Segundo a nutricionista, o intestino é um órgão sensível que se conecta como meio externo toda vez que comemos, e se oferecemos alimentos ruins ele vai perder o equilíbrio. "A saúde intestinal passa pelo banheiro, obviamente, mas também a saúde do corpo como um todo porque o intestino também é esse orgão do sistema imune, que trabalha muito a questão da imunidade e cada vez mais vem sendo descoberto que o intestino também pode atuar em algumas doenças, como a hipertensão, diabetes, câncer no geral, doenças auto imunes, entre outras. Os alimentos que mais prejudicam o intestino são os processados e ultraprocessados, artigos de padarias, ricos em açúcar e farinhas refinadas. Quanto mais você abre pacotes, mais você sabe que está comendo uma alimentação industrializada, repleta de açúcares, como os refrigerantes, sucos de caixinhas e o álcool, que é muito inflamatório. Então, esses alimentos são os grandes violões da nossa saúde", pontua.

Andrea indica que deve-se buscar uma alimentação mais natural possível. "Quando a gente faz mais uso desses alimentos ruins, e diminui o consumo de vegetais, frutas, sementes, cerais, raízes, ou seja, uma alimentação natural, a gente está diminuindo a eficiência do processo de desintoxificação, que grande parte é o nosso fígado que faz, mas o restante é o intestino. Então, realmente a gente precisa ter esse cuidado, voltar para comer de fato uma alimentação mais natural, comida de verdade, como se fala, para o benefício da saúde em geral", finaliza.

Dicas

Aumente a ingestão de frutas: Principalmente as que se podem ser consumidas com casca e o bagaço, tem um efeito bastante benéfico ao nosso intestino. Verduras, cereais integrais e derivados (farelo de trigo, aveia e pães integrais), sementes oleaginosas (linhaça,castanhas,gergelim,amêndoas) e as hortaliças em geral (todos os tipos de folhas verdes) também ajudam a regular o intestino.

Beba bastante líquidos: Água e sucos naturais batidos com a semente lubrificam o intestino e ajudam na formação das fezes. 

Cuidado com os esses alimentos: Evite bebidas alcoólicas, chocolate, café, chá preto e outros alimentos considerados constipantes ou que aumentem a produção excessiva de gases (principalmente os ricos em enxofre).

Não utilize laxantes por conta própria: Se você não consegue evacuar sem o uso desses medicamentos, consulte um médico. O uso prolongado pode trazer problemas de saúde e piorar a constipação.