Fibromialgia - Você sabe do que se trata?


05/01/2018 16:15

Você já ouviu falar sobre a fibromialgia? Ela é uma síndrome que provoca dores por todo o corpo durante longos períodos, causando sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e em outros tecidos moles. Para esclarecer algumas dúvidas, convidamos a médica e professora da Ciências Médicas Anna Luísa Marinho. Veja abaixo a entrevista:

Departamento de Comunicação - O que é a fibromialgia?

Dra. Anna Luísa Marinho - Fibromialgia é uma patologia que se caracteriza por uma dor crônica difusa, acometendo tanto os músculos quanto as articulações. Além das dores, há a presença de alguns sintomas como fadiga, alterações do humor, distúrbios do sono, alterações cognitivas e sintomas somáticos. Sua etiologia ainda é incerta, mas se sabe que há uma sensibilização do sistema nervoso central, ocorrendo uma resposta exagerada a estímulos dolorosos.

Departamento de Comunicação - Como é feito o diagnóstico?

Dra. Anna Luísa Marinho - Não há marcadores laboratoriais ou exames de imagem que confirmem a fibromialgia, uma vez que não existe lesão tecidual (inflamação ou degeneração) nesta doença. O diagnóstico é essencialmente clínico, isto é, feito através dos sintomas relatados pelo paciente. Durante o exame, o médico pode observar uma grande sensibilidade em pontos específicos do corpo. Também é necessário descartar a possibilidade de outras condições patológicas que causem dor crônica difusa como, por exemplo, doenças reumáticas inflamatórias, doenças da tireoide e neuropatias.

Departamento de Comunicação - A fibromialgia pode ser evitada? Existe uma prevenção?

Dra. Anna Luísa Marinho - Não há uma forma de prevenção, uma vez que a causa da fibromialgia ainda é incerta.

Departamento de Comunicação - Quais são os primeiros sintomas que se deve estar atento para procurar o médico?

Dra. Anna Luísa Marinho - Além das dores disseminadas em todo corpo há mais de três meses, outros sintomas podem atentar para possibilidade de fibromialgia, como ansiedade, irritabilidade, choro fácil, sensação de cansaço ao acordar, dificuldade de concentração e de memorização, dores de cabeça frequentes e alterações intestinais, como diarreia ou constipação.

Departamento de Comunicação - A doença tem cura?

Dra. Anna Luísa Marinho - Até então não existe cura, mas o controle adequado permite que os portadores da doença vivam com dores mínimas. A fibromialgia não é progressiva, não causa deformidades articulares nem incapacidade física.

Departamento de Comunicação - Quais são os possíveis tratamentos?

 

Dra. Anna Luísa Marinho - A resposta exagerada à dor ocorre pela redução dos níveis de neurotransmissores no cérebro. Assim, algumas classes de medicações antidepressivas e anticonvulsivantes atuam elevando a quantidade destas substâncias. Analgésicos e antiinflamatórios não são eficazes, pois não conseguem atuar na regulação do sistema nervoso. Atividade física tem grande impacto na melhora da dor, do humor e da qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia. Psicoterapia deve ser estimulada nos casos de depressão e ansiedade.