Novembro Azul - Campanha de prevenção do câncer de próstata


01/11/2019 09:19

O mês de novembro vem trazendo mais uma campanha Novembro Azul, que chama atenção para o diagnóstico precoce do câncer de próstata e também é uma oportunidade de falar para os homens sobre a importância de cuidar da saúde de forma geral.

Segundo o Sistema de Informação sobre Mortalidade do Datasus, a estimativa é que a cada dia 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e aproximadamente 3 milhões vivem com a doença, sendo essa a segunda maior causa de morte por câncer de homens no Brasil. São estimados para este ano 68.220 novos casos, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).            

O câncer de próstata

O diagnóstico do câncer de próstata é feito exclusivamente através da biópsia da próstata. Para indicar corretamente a biópsia, o urologista precisa levar em consideração vários fatores, dentre eles o toque retal. A finalidade desse exame é detectar qualquer alteração na próstata (endurecimento, nódulos) que possa estar relacionada com a presença do câncer. Apesar de desconfortável, é parte fundamental da avaliação prostática, servindo também para auxiliar na decisão da melhor forma de tratamento, caso o câncer esteja presente. O PSA é o marcador mais utilizado no auxílio ao diagnóstico de câncer de próstata. Isoladamente, o PSA elevado não significa necessariamente que o indivíduo tem câncer de próstata, por isso a necessidade do toque retal.

Quando procurar o urologista?

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que homens a partir da puberdade devem procurar o urologista, para avaliação individualizada. O início da avaliação de risco de câncer de próstata começa aos 50 anos e, naqueles da raça negra, obesos mórbidos ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem começar aos 45 anos. Os exames deverão ser realizados após uma análise de fatores de risco pelo o urologista.

Além do câncer, a próstata pode apresentar outros problemas como seu crescimento benigno, que atinge cerca de 50% dos homens acima de 50 anos, gerando dificuldade de micção, e a prostatite, que é a inflamação da glândula. 

Sintomas de alerta

Existem alguns sintomas que alertam ainda mais para a necessidade da procura de um médico especialista:

- Sensação de que a bexiga não esvaziou totalmente e a vontade de urinar persiste;

- Dificuldade de iniciar a passagem da urina e de interromper o ato de urinar;

- Urinar em gotas ou jatos sucessivos;

- Necessidade de manter força para manter o jato da urina;

- Necessidade urgente de urinar imediatamente;

- Dor na parte das costas ou da pélvis;

- Sangue na urina ou no esperma (casos muito raros);

- Dificuldade em ter ou manter a ereção;

- Dor durante a passagem da urina, quando ejacula, nos testículos, na lombar, na bacia ou nos joelhos;

- Sangramento pela uretra.

- Na fase muito avançada, também pode haver dor óssea, sintomas urinários, infecção generalizada e insuficiência renal.