O que é o cálculo renal?


15/03/2018 09:28

Você sabe o que é o cálculo renal? Ele pode ser chamado também de litíase renal, mas é conhecido popularmente como “pedra nos rins”. Essa é uma condição dolorosa, marcada pela formação de pedrinhas que obstruem o sistema urinário. Como o ureter, canal que transporta a urina até a bexiga, é muito estreito, a partícula acaba emperrada. Para expulsá-la, o organismo provoca contrações e surge a dor intensa. Para o nefrologista e professor da Ciências Médicas João Eudes seu aparecimento pode estar muito ligado ao estilo de vida das pessoas.  

Distúrbio metabólico

O cálculo renal é uma associação de várias doenças. “A pessoa que tiver cálculo renal ela também irá apresentar um distúrbio metabólico, que é o que faz com que sejam formadas as pedras. Normalmente a gente faz uma investigação do paciente, para saber mais sobre seu histórico e hábitos alimentares, que são grandes influenciadores nesse caso, para então saber por onde iniciar o tratamento”, explica João Eudes.

Fatores de risco

Segundo o nefrologista o cálculo renal não tem uma causa específica. “O cálculo renal tem uma série de fatores que podem ser a sua causa, mas nenhum visto como principal. Pode-se está ligado a questões sócio econômicasl, como por exemplo uma dieta rica em sal e baixa ingestão de água, a redução de consumo de frutas e verduras, e uma alta ingestão de carne vermelha também pode contribuir. Como também tem outros fatores como a genética, o uso de medicamentos, suplementação de vitaminas, doenças adquiridas, como obesidade, hipertensão e diabetes, e até mesmo com a profissão que a pessoa exerce, em locais muito quentes”.  

Sintomas

O professor João Eudes conta que o cálculo renal pode ser assintomático e só descoberto em algum exame de rotina. “Você pode ter um cálculo e nunca saber, pois pode ser uma doença assintomática, o que é perigoso porque causa a obstrução das vias urinárias, colocando em risco o rim do paciente, como também você pode ter o extremo dele que é a insuficiência renal. Geralmente é até confundido com uma apendicite. Os sintomas apresentados são as dores que vão de leve à intensa atingindo a lateral do abdômen, a lombar ou a região da bexiga e genitália, dor e dificuldade de urinar, vontade frequente de urinar, urina avermelhada pela presença de sangramento, e até náuseas e vômitos”.

Tratamento

O tratamento sempre vai depender da situação de cada paciente. “Se o paciente estiver com uma dor aguda, primeiramente vai se tratar essa dor, com antiinflamatórios e analgésicos. Tratando a dor aguda vai se observar o cálculo em si. Quando o cálculo está presente de forma crônica, será preciso analisar o tamanho e a localização dele, se ele traz algum dano ao rim, para se definir algum tratamento. Se for pequeno vai só observá-lo, e se o cálculo for mediano tem a opção de tratamento endourológico e até mesmo a cirurgia aberta, mas que hoje está se deixando mais de lado por ser uma cirurgia mais invasiva”, conta João Eudes.