Medicina

SIGA NOSSO

Organização curricular

A organização curricular está voltada para o atendimento do perfil definido para o profissional sem perda de vista do mercado de trabalho na articulação orgânica com as tendências da Medicina e o Sistema Único de Saúde. Para concretização desta proposta, alguns pressupostos teórico-metodológicos foram assumidos de forma que conduzam ao desenvolvimento de habilidades e de atitudes necessárias à formação do estudante de medicina. Destacam-se, entre outros:

  coordenação, sistematização e orientação das atividades curriculares, extracurriculares e a articulação dos componentes curriculares como elementos indicadores da materialização do perfil do profissional que se pretende formar;

  priorização do ensino e aprendizagem da Medicina, objetivando para o alunado uma base sólida de conhecimentos científicos, médicos e filosóficos, com vistas à construção da consciência social e profissional como fatores importantes de cidadania;

  consideração, nas atividades de ensino, pesquisa e extensão, da realidade paraibana sem que sejam eludidas as questões referentes à saúde em geral, nem esquecidas as características como instituição acadêmica;

  adoção em todas as instâncias (colegiado de curso, clínicas, coordenação pedagógica) da metodologia do planejamento participativo para favorecer a tomada de decisões que se impõem;

  proposição e prática de um sistema de avaliação permanente para diagnosticar os avanços e recuos como possibilidade de melhoria qualitativa das atividades acadêmicas;

  busca da inter-relação entre a dinâmica do curso e o cotidiano da saúde na Paraíba como elemento fortalecedor das relações curso/sociedade;

  revisão permanente e atualização dos conteúdos programáticos e das metodologias, tendo em vista o progresso da ciência, as expectativas dos alunos e as exigências da sociedade, integralizando teoria e prática, instituição e sociedade;

  definição das necessidades biopsicossociais de saúde dos indivíduos e da população, como orientadores da construção do saber médico e da conformação da prática médica nos serviços de saúde;

  currículo adotando um campo de prática diversificado, utilizando não só os hospitais, mas, os serviços de saúde do SUS, na sua dimensão própria e complementar, além de outros serviços possíveis como ONGs, serviços da comunidade, creches, etc;

  adoção de um currículo centrado no aluno, possibilitando o desenvolvimento de uma postura crítica, responsável e reflexiva, sendo o aluno sujeito do processo ensino aprendizagem, do processo de construção do seu conhecimento e do cuidado das pessoas, assumindo autonomia e responsabilização crescente sobre os mesmos;

  docente consciente de seu papel de mediador e motivador do processo ensino aprendizagem;

  currículo adotando uma estrutura didático-pedagógica modulada, cujo núcleo é o conhecimento integrado por áreas do conhecimento, visando a formação geral do médico, embasada, cientificamente em tecnologias convencionais e avançadas, na ética e no humanismo.

A organização curricular do Curso assentar-se-á, pois, em áreas temáticas teórico-filosóficas correspondentes a uma perspectiva crítica da Medicina e fundamentalmente capaz de romper a dicotomia teoria/prática adotando-se modelo didático orientado para o processo de aprendizagem e, por conseguinte, centrado no profissional em formação.

Utiliza a Tutoria como atividade complementar às demais desenvolvidas. Essa forma de organizar o processo ensino-aprendizagem objetiva integrar os conhecimentos das atividades teóricas e práticas e favorecer, ainda mais, a formação de profissionais com uma visão holística do processo saúde-doença. A Tutoria utiliza como método a Aprendizagem Baseada em Problemas, que tem como característica ser centrado no estudante, desenvolvido num pequeno grupo e facilitado por um docente, nomeado de tutor. As situações-problemas permitem a exploração do conhecimento prévio dos estudantes, o desenvolvimento do raciocínio clínico e epidemiológico, a formulação de hipóteses, a busca e análise crítica do conhecimento necessário para melhor explicar o problema e a formulação de planos de cuidado para situações individuais e coletivas. Como este método não é utilizado em todas as atividades de ensino, os temas abordados são relacionados às atividades que estão ocorrendo paralelamente à tutoria, sempre com grande preocupação para que haja uma abordagem ampla dos aspectos bio-psico-sociais. Os encontros da Tutoria acontecem uma vez por semana, com duração de três horas. Os objetivos de estudo são construídos pelo grupo de estudantes, havendo pesquisa e estudo individual com a finalidade de discutir este conteúdo na próxima semana. As situações-problemas são construídas pelos professores a partir de objetivos de aprendizagem definidos no currículo do curso e são adequados ao nível de compreensão dos alunos naquele estágio do curso e representam situações que estimulam a curiosidade e que tenham relevância na prática futura. A avaliação dos conteúdos trabalhados se dá na construção de uma síntese da situação-problema discutida, sendo entregue na forma de um portfólio manuscrito, valorizando a reflexão e análise crítica dos objetivos de estudo. A idéia que fundamenta essa prática pedagógica específica, que se constitui em uma das formas de desenvolver o ensino problematizador, é a de proporcionar (re)elaboração de um conhecimento mais significativo para os estudantes, estimulando o aprender a aprender e a construção coletiva de planos de cuidado e possibilitando um olhar mais abrangente sobre o processo de saúde-doença do indivíduo, da família e de sua comunidade.