Alunos de Nutrição realizam atendimentos clínicos em prática supervisionada

Os alunos do 7º período do curso de Nutrição da Ciências Médicas têm no Complexo de Responsabilidade Social da Faculdade um campo de prática, para realizarem atendimentos ao público em geral, supervisionados pelas professoras Luciana Martinez e Mônica Lima.

Acompanhamento dos pacientes

Segundo a professora Mônica os atendimentos fazem parte da prática de Nutrição Clínica Ambulatorial. “Nessa prática é feito todo o acompanhamento do paciente, identificando os fatores de risco, o estilo de consumo alimentar, fazemos a avaliação antropométrica, calculamos e montamos o plano alimentar. Esses pacientes ficam sendo acompanhados mensalmente, para que a gente consiga alcançar o objetivo pelo qual ele procurou e a prevenção de saúde sobre qualquer situação que os alunos percebam que precisam de uma orientação. Os alunos são totalmente capacitados para, se houver necessidade, até solicitar os exames. E, se também for preciso nós encaminhamos para outros profissionais”.

Perca de peso de forma saudável

Mônica explica que a maioria dos pacientes que procuram os atendimentos é para perca de peso. “Cerca de 80% chegam com o objetivo principal de perder peso, e muitos têm problemas associados a esse excesso de peso, como diabetes, hipertensão, outros que têm problemas com colesterol alto, triglicerídeos alto, no fígado, esteatose hepática, e aí termina que a gente vai tratando tudo, eles vão relacionando e vamos fazendo a intervenção para cada situação”.

Importância da prática

Para a professora, os alunos devem estar atentos as singularidades de cada paciente. “Colocar em prática todo o conhecimento é muito importante para a formação deles. Como já são alunos do 7º período, já tem uma bagagem teórica muito boa, já passaram também por práticas pontuais, só que agora eles unem tudo nessa prática, para atender pacientes diversos, porque tem pacientes aqui com várias histórias diferentes. Então, esses alunos devem saber como adequar uma dieta tanto para pessoas de classes econômicas baixas, como de classes econômicas altas, da mesma forma como orientar um atleta, entre outras minúcias. Por isso, preparamos eles para estar atento as singularidades”.